Thursday, November 28, 2013

Súplicas




Ela orava fervorosamente todas as manhãs naquela mesma capela.O povo da cidade até conhecia os seus passos.Não houve um só dia de calor.Alguma tempestade ou vento forte que a privasse do ritual.Foram tantas temporadas de fervor.Lágrimas implorando por um milagre.Somente um milagre a poderia salvar de todo o seu martírio.Maria da Capela alguns a chamavam pelas ruas das cidade.E ela com o olhar sempre perdido e um leve sorriso nem se importava.Cumpria sua penitência .Como quem busca o inatingível.E o tempo imperou.E naquela manhã de  outono .Aquela fiel mulher não aparecera.Burburinhos surgiram.Onde estaria a Maria da capela? Já aproximava-se o cair da tarde. E meia dúzia de curiosos encaminharam-se para a sua casa.O que de tão grave a impediu a sagrada visita matinal?O que teria feito Maria nessa manhã outonal?E ao chegar na ladeira que dava para sua casa.Uma intensa fumaça foi sentida e avistada.E a casa onde Maria morava estava completamente carbonizada.E em um dos cômodos ao lado de centenas de velas.Maria da Capela estava abraçada a uma criança com um par de muletas ao seu lado.

8 comments:

Djalma CMF said...

Um texto profundo diante de uma verdadeira adoradora, mas as nuances da vida nos acompanhando e provocando surpresas. Parabéns querida, belo conto, abraços fraternos.

Dorli said...

Oi Lia
Um conto muito bem feito, triste, mas na vida tudo pode acontecer
É a tristeza e a falta de amor que sucumbe as pessoas.
Beijos
Lua Singular

Lia Noronha said...

Djalma: feliz de ver vc aqui...conhecendo um pouco do smeus pequenos contos.abraços carinhosos

Lia Noronha said...

Dorli: flor amiga que bom ter você visitando por aqui.Beijo carinhoso

PAULO TAMBURRO. said...

LIA,

o ser humano só transcende,quando é no outro que vive nele o nós.

Então o ser humano livra-se do seu casulo escuro e pegajoso e pode voar, exatamente como acontece na transmutação da lagarta em uma borboleta.

E podendo transcender voa, deixando lá embaixo apenas e tão somente,destroços carbonizados.

Mas , afinal, está a salvo em planos muito mais confortáveis do que, aqueles nos quais vivem eternamente, algumas pessoas em seus mundos egocêntricos.

Transcender não dói.

Um abração carioca.



Cadinho RoCo said...

Aplaudindo de pé.
Cadinho RoCo

Lia Noronha said...

Paulo: obrigada pela visita aos meus contos...abraços..

Lia Noronha said...

Cadinho: sempr efleiz emr eceb~e-lo por aqui...bjins querido amigo.