Friday, October 07, 2016

Rio para o mar


Dirigiu-se ao seu criado sempre mudo.Quis dizer-lhe umas verdades.Notou então que era também surdo e cego.Fechou os olhos .E tentou dormir mais uma noite com aquela angústia que a atormentava por dias a fio.Lembrou-se então.Que as lágrimas são rios da vida.Derreteu-se a chorar.Numa tentativa desesperada de logo desaguar no mar do esquecimento.

Sunday, July 24, 2016

Triste fim





Era tarde sim.Todos estavam famintos.Portas bem fechadas.Como festa acabada.Jogo de azar.Vida sem sentido.Lágrimas em vão.Desabrigados do amor.
Recordo apenas isso.Nossos estômagos roncavam.E ninguém percebia.Pobres solitários noturnos.
Conheciam nossos vícios.Desconheciam nossos tombos.Equilibristas da vida.Mutilados da sorte. Atordoados pela fome.Barrados nos bailes.Estranhos no ninho.Avessos ao mundo.
Despedidos da vida.Sem outra saída.Cambaleamos nos becos.Fugimos da vida.De forma emergencial.
Triste fim.