Friday, October 07, 2016

Rio para o mar


Dirigiu-se ao seu criado sempre mudo.Quis dizer-lhe umas verdades.Notou então que era também surdo e cego.Fechou os olhos .E tentou dormir mais uma noite com aquele angústia que a atormentava por dias a fio.Lembrou-se então.Que as lágrimas são rios da vida.Derreteu-se a chorar.Numa tentativa desesperada de logo desaguar no mar do esquecimento.

Sunday, July 24, 2016

Triste fim





Era tarde sim.Todos estavam famintos.Portas bem fechadas.Como festa acabada.Jogo de azar.Vida sem sentido.Lágrimas em vão.Desabrigados do amor.
Recordo apenas isso.Nossos estômagos roncavam.E ninguém percebia.Pobres solitários noturnos.
Conheciam nossos vícios.Desconheciam nossos tombos.Equilibristas da vida.Mutilados da sorte. Atordoados pela fome.Barrados nos bailes.Estranhos no ninho.Avessos ao mundo.
Despedidos da vida.Sem outra saída.Cambaleamos nos becos.Fugimos da vida.De forma emergencial.
Triste fim.

Monday, August 17, 2015

Fim de festa



Na mesma rua todas as noites aquele olhar felino a seguia.
Uma sombra de dúvidas povoava sua mente.Seria de carinho ou desprezo aquele olhar?
Um misto de paz e amargura tomava conta de seu peito quando passava por ele.Sempre tentando não encará-lo.Mas uma espécie de ímã a levava a encontrar o seu olhar.Nuvens percorriam o céu prenunciando um terrível temporal.Era uma noite especial para todas as famílias da aldeia.Noite de festejos e encantos.E aquela mulher solitária perdeu-se da sua família há bem mais de trinta anos.O Natal era a noite mais difícil de todo o ano.Ela fechou os olhos a imaginar que aquele felino seria o único a compartilhar da sua solidão.Choveu bem antes nos seus olhos.E resolveu atravessar a rua pela última vez.

Friday, July 31, 2015

Pássaro poderoso



Não bastou -lhe possuir asas.Teve que ser pássaro e alçar voos.Uns breves .Outros mais longos.Reiventar a vida a cada investida.E como o canto era suave demais.Pouco era ouvido por outros animais que habitavam aquela enorme floresta.

Monday, January 26, 2015

Viver plenamente!

 
Quero apenas cinco coisas...primeiro e o amor sem fim...
a segunda e ver o outono ...a terceira e o grave inverno.
Em quarto lugar o verão ...a quinta são teus olhos...
Nao quero dormir sem teu olhos.
Não quero ser...sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando
                                     Paulo Neruda











Ao contrário de Neruda ...nao abrirei mão da primavera.Porque contém flores primeiras que enriquecem muito mais o amor.Pensei em abandonar o inverno por trazer em sua essência a frieza de todas as outras estações .Ou mesmo o vento outonal que arrasta todas as vontades dos olhos dos que acreditam.Tentei eliminar o verão ...seu denso sol e seus infinitos matizes que ressecam as ilusões de um poeta.mas descobri maravilhada.Que para amar...não se pode abandonar nenhuma estação .Porque no amor há espaço para todas elas.o amor expande nossos corações ...para uma vida tão próxima da plenitude!!!

Friday, January 23, 2015

Longa espera


O tempo costumava passar lento quando ela o aguardava.Era uma espécie de deserto na alma.Um sol que castigava e danava o solo.Condenado.a a infertilidade. Dimensões tao desiguais essas dos sentimentos.Uns amam tanto e outros amam quase nada.Uns se entregam inteiramente na errada medida.No exagerado apego que arrasta para um lugar sombrio.Sufocava- se em lágrimas quando ele não vinha.Sua felicidade inteira cabia nas mãos daquele homem? Os seus melhores instantes pertenciam a ele.e aquela ausência doía muito mais quando anoitecia?Porque as noites despertavam fantasmas adormecidos....na claridade das aparências diárias.

Monday, April 14, 2014

Sonhos de menino

 



De que são feitos seus sonhos pobre menino?Indagou aquele nobre idoso para o menino maltrapilho.Era noite de inverno e o frio entrava por todas as frestas das janelas.E o menino quase adormecido pela fraqueza do corpo faminto e pelo peso que a noite traz.Disse quase murmurando: meus sonhos são construídos com pedaços de outros sonhos que quase perdi.